Confira quais as principais etapas do marketing digital

18 minutos para ler

Os modelos de consumo vão mudando ao longo do tempo e, com isso, as empresas precisam se atualizar para conseguir atrair e fidelizar clientes. Com o advento da internet, por exemplo, o ambiente virtual passou a ser cada vez mais protagonista nas relações de compra e venda, cenário que consagrou o marketing digital.

Hoje em dia, porém, vemos uma nova tendência se tornar definitiva: a dos infoprodutos, ou produtos digitais. Com eles, os programas de afiliados surgem como uma oportunidade de negócios altamente rentável e promissora.

Nesse contexto, ter uma estratégia digital consistente é ainda mais importante. Afinal, para produtos criados e comercializados exclusivamente pela internet, as iniciativas nesse meio precisam ser certeiras, já que são elas que garantem o sucesso do negócio.

Quer se destacar e disparar o número de vendas on-line? Então, acompanhe este guia completo e aprenda a implementar o marketing digital etapa por etapa!

A revolução do marketing digital

Como você sabe, o marketing digital consiste em uma série de iniciativas realizadas por meio da internet com o objetivo de fortalecer o negócio, seja pela conquista de mais clientes e consequente aumento no número de vendas, seja pela criação de autoridade para a marca.

Ter uma estratégia digital é fundamental para todas as empresas, pois a internet é uma das principais ferramentas utilizadas pelos consumidores, tanto para pesquisas sobre dúvidas ou necessidades que possam ter, como para a compra direta de produtos ou a contratação de serviços.

Para você ter uma ideia, a revista Exame organizou um panorama do consumo no Brasil e chegou à conclusão que, enquanto mais de 200 mil lojas físicas fecharam nos últimos anos, as vendas virtuais tiveram aumento de mais de 60%. O marketing digital, nesse sentido, é decisivo para conquistar visibilidade na internet.

As etapas do marketing digital

Agora vamos ao que interessa: como implementar o marketing digital passo a passo? A seguir, confira as principais etapas para garantir o sucesso da sua estratégia!

Definição dos objetivos

Em primeiro lugar, todas as iniciativas digitais devem ser guiadas por objetivos claros. Aumentar o número de vendas é apenas um dos efeitos possíveis de uma estratégia e nem sempre é o foco. Afinal, outros resultados são importantes para a consolidação da marca no ambiente virtual, no longo prazo.

Sabendo disso, é interessante direcionar cada campanha a um resultado desejado. Algumas possibilidades são:

  • construir a percepção da marca no mercado;
  • reforçar a autoridade do negócio no segmento;
  • tornar-se uma referência em relação ao produto ou serviço;
  • atrair novos clientes em potencial;
  • nutrir a base já existente de clientes;
  • melhorar o número de clientes fidelizados.

Pesquisa de mercado

Depois de definir os objetivos da estratégia, é hora de conhecer o terreno para implementar ações certeiras. Para tanto, uma boa dose de pesquisa de mercado é bem-vinda. Ainda mais tendo em vista que, na internet, todos os movimentos são orientados por dados. Portanto, busque conhecer:

  • os principais desafios da área em que atua ou pretende atuar;
  • as principais características do seu público;
  • o que a concorrência anda fazendo.

O benchmarking consiste em comparar as práticas de venda e marketing que estão sendo empregadas por marcas semelhantes à sua e, assim, aprender com os erros e acertos.

Segmentação de público

Falar em marketing digital é o mesmo que falar em uma estratégia altamente segmentada. Na internet, quanto mais personalizadas forem as iniciativas, mais chances de acertar em cheio nas necessidades e dores de potenciais clientes. Portanto, não dá para tratar todo o seu público do mesmo jeito.

É aí que entra o conceito de buyer persona, que consiste em um perfil semifictício de pessoas que você quer atingir com a sua estratégia. Inclusive, você pode ter uma persona para cada campanha ou objetivo, de modo que as ações de marketing sejam altamente direcionadas.

Na criação da sua persona, tente fugir da amplitude e focar nas especificidades do seu cliente ideal, incluindo:

  • dados sociodemográficos — idade, classe social, gênero, nacionalidade, escolaridade, profissão, entre outros;
  • dados psicográficos — personalidade, hábitos, principais dores e estilo de vida.

Planejamento das campanhas

Com objetivos definidos, conhecimento de mercado e uma boa segmentação de público, é hora de planejar suas campanhas. Veja alguns passos fundamentais dessa etapa.

Palavras-chave

As palavras-chave são o elo de ligação entre a marca e a persona. É a partir delas que um cliente em potencial normalmente tem o primeiro contato com uma empresa e ingressa na jornada do consumidor, passando pelas etapas do funil de vendas.

Por isso, a primeira preocupação no planejamento das suas campanhas é definir as palavras-chave pelas quais você quer brigar com a concorrência. Vale a pena usar um bom planejador — como o planejador de palavras-chave do Google —, além de conferir os topic trends do momento.

Canais de marketing

Em seguida, defina os canais em que suas campanhas serão divulgadas, incluindo blogs, redes sociais, e-mail, entre outros. É importante que a estratégia envolva vários ambientes para que a presença digital da marca se torne mais saliente, mas não se esqueça de favorecer os canais mais utilizados pelo seu público.

Calendário editorial

O calendário editorial é uma ferramenta de planejamento essencial. Basicamente, você vai estabelecer um cronograma para a sua estratégia, com datas definidas para cada iniciativa. Estude a periodicidade ideal de atuação em cada canal, encontrando o equilíbrio entre ser lembrado e não ser inoportuno. Por exemplo:

  • 1 e-mail por semana;
  • 2 blogposts por semana;
  • 1 postagem diária no Facebook;
  • 1 conteúdo em vídeo por semana;
  • 2 materiais ricos por mês;
  • 3 stories diários no Instagram, e por aí vai.

Produção de conteúdo

Com todo esse planejamento na ponta do lápis, é hora de ir às vias de fato e produzir os conteúdos que serão publicados. Lembre-se de manter sempre o foco na persona, para que esses materiais sejam direcionados às necessidades e dores do seu potencial cliente. Assim, seu produto ou serviço começará a configurar como uma solução.

Existem muitos tipos de conteúdos que podem ser explorados nas suas campanhas e você não precisa se limitar a apenas um deles. Pelo contrário, quanto mais relevantes e variados forem os materiais e mais valor agregarem para o seu público, melhor. Entram em jogo:

  • blogposts;
  • conteúdos épicos;
  • e-books;
  • infográficos;
  • vídeos;
  • postagens em redes sociais;
  • webinars;
  • imagens.

Aplicação de SEO

Agora, para que todas essas etapas do marketing digital tragam os efeitos esperados, não deixe de fora as otimizações para os mecanismos de busca (SEO, na sigla em inglês). É muito simples: se os seus conteúdos não atenderem a determinadas boas práticas para melhorar o ranqueamento nos buscadores, como o Google, o seu público pode nunca encontrá-los.

Com isso, toda a estratégia vai por água abaixo. Para você ter uma ideia, dados da imFORZA, uma agência especializada em marketing digital, mostram que:

  • 93% das experiências de consumo digitais começam com buscas dos usuários;
  • entre os mecanismos utilizados para isso, o Google lidera, correspondendo à preferência de 70% dos usuários;
  • 75% dos usuários nunca passa da primeira página de resultados do buscador.

Por isso, anote aí algumas boas práticas de SEO:

  • usar palavras-chave de modo consistente e natural;
  • manter os conteúdos sempre atuais e relevantes;
  • explorar variações da palavra-chave, levando em conta que a indexação é semântica;
  • distribuir backlinks pertinentes e de qualidade;
  • valorizar a navegação do usuário;
  • construir conteúdos com boa escaneabilidade;
  • usar URLs amigáveis;
  • ser mobile-friendly;
  • criar títulos chamativos e curtos para os conteúdos;
  • corrigir erros de rastreamento, como links quebrados.

Monitoramento das iniciativas

O monitoramento é parte fundamental de uma estratégia de marketing digital. E uma das grandes vantagens é que, na internet, as métricas podem ser aplicadas e analisadas praticamente em tempo real. O resultado é a possibilidade de adequar as campanhas continuamente, buscando sempre melhores números e o alcance de objetivos, de acordo com o que tem mais aceitação por parte do público.

Powered by Rock Convert

Para tanto, é importante que também entre no planejamento a definição das métricas mais interessantes para a marca. Você pode utilizar, por exemplo, o Google Analytics e o BuzzSumo para acompanhar diferentes índices do site ou do blog, além de ferramentas específicas para monitorar as campanhas de e-mail marketing e das redes sociais, por exemplo.

Existem inúmeras métricas de marketing digital, mas algumas das principais são:

  • tráfego orgânico — mostra a quantidade de visitas que ocorrem de forma espontânea, isto é, que não provêm de publicidade paga;
  • taxas de conversão — a conversão ocorre sempre que um usuário avança na estratégia, por exemplo, quando um visitante se torna um lead ou um lead se torna um cliente. Em geral, esse acompanhamento se dá a partir da taxa de sucesso de landing pages;
  • custo por lead (CPL) — é a razão entre o investimento total nas iniciativas de marketing digital e o número de leads gerados, oriundos de diversas fontes de tráfego;
  • lifetime value (LTV) — corresponde ao lucro líquido que um cliente gera para a empresa no decorrer do seu relacionamento com a marca;
  • ranqueamento por palavra-chave — acompanhar o pagerank (PR) é um importante modo de analisar se as práticas de SEO estão sendo bem aplicadas, bem como se o planejamento de palavras-chave é eficiente;
  • retorno sobre investimento (ROI) — indica qual é a razão entre o investimento feito em marketing digital e o lucro alcançado, sendo que, quanto mais refinada é a estratégia, maior é a porcentagem do ROI.

Os benefícios do marketing digital

Agora, que tal reforçarmos os benefícios do marketing digital? Não só para quem quer ingressar em programas de afiliados, como para negócios de todos os tipos, uma estratégia digital é capaz de trazer inúmeros impactos para a marca, como:

  • conquista de visibilidade — ou seja, a possibilidade de ser encontrado por potenciais clientes na internet e, ainda, de tornar mais clara a identidade da marca;
  • captação de público — conquistar novos clientes por meio do grande alcance das campanhas online;
  • conversão de leads — transformar visitantes em usuários com genuíno interesse no produto ou serviço ofertado, o que facilita a conclusão da venda;
  • fidelização de clientes — estreitar o relacionamento com a carteira atual de clientes, aumentando as chances de fidelização e de novos negócios futuros;
  • ganho de autoridade — estabelecimento da marca como uma referência no nicho de atuação.

Autoridade no marketing digital

O ganho de autoridade é um dos principais benefícios do marketing digital e, também, um dos grandes objetivos desse tipo de estratégia. Para consegui-lo, porém, é necessário ir ainda um pouco além de aplicar um determinado número de iniciativas.

Falar em autoridade é sinônimo de falar em sucesso do cliente. Isto é, quanto melhor for a experiência de quem se relaciona com a marca, mais chances de ela se tornar uma referência no segmento de atuação. Para tanto, algumas atitudes fazem diferença, como:

  • ter senso de propósito — acreditar, de fato, no que está vendendo e saber qual é o seu propósito muda completamente a abordagem nas iniciativas de marketing. Por isso, vale a pena refletir sobre aonde você quer chegar e de que maneira seu produto ou serviço vai impactar a vida dos clientes;
  • ter posicionamentos claros — definir a “personalidade” da marca, por meio de um branding sólido, é muito importante para que os posicionamentos, o tom de voz e as interações com o público estejam alinhados ao senso de propósito;
  • produzir conteúdo relevante — mais do que vender ou converter visitantes, pense em ofertar conteúdos realmente relevantes para a persona, com informações que agreguem valor.

Os principais canais do marketing digital

Lembra que uma das etapas do planejamento é a definição dos canais que serão utilizados? Pois bem, veja abaixo uma descrição de como você pode trabalhar em cada um dos principais canais do marketing digital.

Blog

Os blogs são consagrados como uma das mais efetivas formas de conquistar novos clientes na internet. É neles que o marketing de conteúdo — um dos maiores pilares do marketing digital — acontece em sua melhor expressão: blogposts e materiais ricos.

Eles são efetivos por um motivo simples. Enquanto em outros canais, como as redes sociais ou mesmo o e-mail, o usuário tem inúmeras distrações ao redor, no blog isso não ocorre. É um local que a comunicação se dá de forma limpa e sem interferências, o que facilita a criação de conexão entre marca e persona.

Além disso, os blogs são facilmente otimizáveis para SEO, têm uma administração prática, são instrumentos de trabalho muito baratos e, ainda, podem ser monitorados em uma ampla variedade de aspectos.

Site institucional

O site institucional também é uma bela ferramenta de marketing digital. Em primeiro lugar, ter um site próprio é um grande passo para aumentar a credibilidade do negócio. Ainda, é por ali que o usuário tem acesso às principais informações sobre a marca.

Geralmente, os sites também têm páginas específicas para e-commerce, ou seja, um canal de vendas totalmente virtual. Neles, os visitantes têm acesso a todo o catálogo de produtos ou serviços comercializados, sendo que o monitoramento dos carrinhos favorece grandemente a estratégia de marketing.

Redes sociais

As redes sociais são grandes aliadas dos resultados no marketing digital. Por meio delas, é possível aumentar o alcance de público e levar usuários ao blog ou site por meio de chamadas sociais convidativas. Também é nessas mídias que o negócio pode investir forte no relacionamento com os potenciais clientes.

Enquetes, divulgação de eventos, conteúdos que mostram os “bastidores” da marca: tudo isso favorece o engajamento do público e ajuda a estreitar a relação de confiança. Com isso, há maiores chances de fidelização e do aumento de tráfego, já que a percepção da marca se torna mais positiva.

E-mail

O e-mail é outro dos grandes pilares do marketing digital. E não se engane: apesar de ser uma ferramenta clássica, ela não perdeu seu poder: de acordo com o relatório do Radicati Group, o número de contas ativas não para de aumentar, ano após ano. Até o fim de 2019, a expectativa é que haja quase 3 bilhões de usuários de e-mail.

Nas campanhas de marketing, essa ferramenta pode ser utilizada para promover os conteúdos do blog, engajar a rede de contatos e, ainda, inserir o público em fluxos de nutrição com objetivos específicos. Por fim, o e-mail também tem a grande vantagem de ser um contato mais pessoal, o que abre a possibilidade de personalização das mensagens.

Mídias pagas

Para terminar, os anúncios são outro excelente canal para iniciativas de marketing. Existem basicamente dois tipos de mídias pagas que podem ser utilizados em suas campanhas:

  • anúncios em motores de busca — como o Google ou o YouTube, que podem ser contratados por meio do Google Adwords;
  • impulsionamentos em redes sociais — servem para aumentar o alcance de publicações, sem perder a segmentação de público.

A importância de planejar e criar estratégias

Para alcançar todos os objetivos definidos na primeira etapa do marketing digital, incluindo o ganho de autoridade da marca e o sucesso do cliente, planejamento e estratégia são fundamentais.

Somente com uma boa dose de pesquisa, análise de pontos fortes e fracos das iniciativas adotadas e um conhecimento profundo das necessidades da persona é que é possível se destacar em meio à concorrência. Afinal, estamos em uma era em que o poder de decisão nas mãos do consumidor é muito grande.

Basta um segundo para que o anúncio de uma marca concorrente chame a atenção do usuário, ou apenas uma frase desalinhada em relação ao que a sua persona acredita para que ela feche a aba do navegador e não volte a procurar mais o seu produto.

Por isso, antes de colocar as campanhas no ar, é importante se dedicar bastante ao planejamento, além de estudar continuamente técnicas e tendências. Por exemplo, que tal adquirir alguns livros de marketing ou assinar blogs relevantes para ficar sempre de olho no assunto?

Os programas de afiliados

Basicamente, o conceito por trás de um programa de afiliados gira em torno da divulgação de produtos criados por terceiros, em troca de receber comissões pelas vendas. As principais formas de comissionamento são:

  • custo por ação (CPA) — em que o afiliado ganha sempre que o usuário realiza determinada ação, como clicar em um link específico ou baixar um material rico;
  • custo por lead (CPL) — em que o afiliado ganha sempre que o usuário se torna um lead, isto é, quando fornece dados pessoais, demonstrando seu interesse na marca. É o que acontece, por exemplo, com o preenchimento de formulários ou a assinatura de newsletters;
  • custo por venda (CPS, do inglês Cost per Sales) — em que o afiliado ganha sempre que o usuário efetivamente realiza a compra do produto ou a contratação do serviço divulgado.

Independentemente do tipo de comissionamento do programa de afiliados, uma coisa é certa: o marketing digital é fundamental para os lucros de um afiliado, pois é por meio de uma estratégia consistente que ele conseguirá atrair visitantes e levá-los à ação desejada.

Dicas de marketing digital para afiliados

Diante do que vimos até aqui, você pode estar se perguntando se há alguma forma de otimizar ainda mais uma estratégia de marketing digital com foco no programa de afiliados. Boas notícias: algumas práticas ajudam a potencializar os resultados. São elas:

  • escolher um nicho que você domina — a melhor forma de produzir conteúdo relevante é ter um profundo conhecimento sobre o assunto. Portanto, é melhor escolher nichos com os quais você tem algum tipo de experiência;
  • fazer uma curadoria de produtos — dentro do nicho escolhido, faça uma curadoria dos produtos e escolha aqueles com os quais você vai conseguir trabalhar de acordo com as necessidades do público;
  • acompanhar os resultados — de novo, aqui vemos a importância da mensuração de resultados para ter uma estratégia cada vez mais refinada e direcionada às características do público;
  • fortalecer o relacionamento — mesmo após concluir a venda ou a conversão e receber a comissão, não abandone sua persona. Tenha fluxos de e-mail personalizados para antigos clientes e mantenha o contato nas redes sociais, entre outras iniciativas que demonstrem seu cuidado com os consumidores. Mais tarde, eles podem se tornar novas oportunidades de negócio;
  • contar com bons recursos — além de investir nos canais de marketing digital, seja criando um blog, seja contratando anúncios, é importante contar com bons recursos de gestão, ou seja, com uma plataforma de afiliados que realmente favoreça o trabalho no dia a dia.

A plataforma de marketing de afiliados

Com base na dica você acabou de ver, deu para perceber a importância de escolher uma boa plataforma de afiliados, não é? Afinal, contar com uma plataforma que represente solução, e não dor de cabeça, é fundamental para facilitar o trabalho. É, ainda, decisivo para transmitir confiança aos potenciais clientes.

Então, veja algumas características que ajudarão você a escolher a plataforma parceira:

  • oferta de produtos — escolha uma plataforma que tenha um bom leque de produtos, em variedade e em qualidade;
  • suporte e recursos — avalie, também, os diferenciais dos recursos de gestão de vendas e do suporte ao afiliado;
  • resgate de ganhos — priorize plataformas que tenham funcionalidades que facilitem o resgate de ganhos por parte do afiliado, como serviços de pagamento automático;
  • segurança — observe se a plataforma conta com sistemas de segurança, como alertas antifraudes e uma boa política de privacidade;
  • acompanhamento — boas plataformas também permitem o acompanhamento da estratégia do afiliado, com rastreamento de links, registro de abandono de carrinho ou de cancelamento de compras.

Agora você já conhece as principais etapas do marketing digital e sabe como aplicá-las em uma estratégia focada em programas de afiliados. Como você viu, todas as iniciativas precisam ser planejadas com cuidado e baseadas em dados, tanto na definição dos objetivos e dos primeiros movimentos, como no monitoramento constante dos resultados.

Gostou do conteúdo? Ótimo! Então compartilhe este guia nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a conhecerem o universo do marketing digital!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário